Vídeo produzido com netos de Victorino Carriço homenageia poeta, que completaria 110 anos nesta sexta

Obra foi produzida pela Secretaria de Cultura de São Pedro da Aldeia, cidade do poeta. Dia 29 de julho é dia de comemorar os 110 anos do compositor e poeta Victorino Carriço Nesta sexta-feira (29), dia em que Victorino Carriço completaria 110 anos, foi lançado um vídeo que homenageia o poeta, escritor e cronista, nascido em São Pedro da Aldeia, mas que teve grande ligação também com as cidades de Cabo Frio e Arraial do Cabo. Ele é o autor do hino das três cidades. Poeta Victorino Carriço completaria 110 nesta sexta-feira, 29 de julho de 2022 Arquivo pessoal O vídeo, produzido pela Secretaria de Cultura de São Pedro da Aldeia, conta com a participação da jornalista Fernanda Carriço e do músico Júnior Carriço, netos do poeta, e exalta a vida e obra do escritor. O resultado pode ser conferido nas páginas oficiais da Prefeitura de São Pedro da Aldeia e da Secretaria de Cultura no Facebook (assista vídeo completo abaixo). Initial plugin text Falecido em 2003, Victorino foi um dos maiores expoentes no cenário político, artístico, musical e literário da Região dos Lagos. Ao longo de sua vida, o “Santinho”, como era chamado, também foi delegado de polícia, gerente de banco, vereador e até presidente da Câmara Municipal, em 1973. Victorino Carriço também foi um dos fundadores da Academia Cabo-friense de Letras. Foi com a ajuda das palavras que o poeta construiu seu legado. Autor de obras como “Mar e Amar, “Se Voltares” e “Vidas Mortas”, ganhou notoriedade também com suas composições, sendo responsável pela produção de outros hinos como o do Colégio Sagrado Coração de Jesus e da antiga Companhia Nacional de Álcalis. Em um registro sensível e cheio de afeto gravado na orla do Baixo Grande, local onde Victorino nasceu e passou boa parte de sua juventude, Fernanda e Júnior lembraram das histórias de sua infância e da forte figura paterna de Victorino; a paixão do avô pela região e o legado artístico e humanitário deixado pelo poeta. O vídeo também traz a tocante interpretação de Júnior, em voz e violão, da canção “Voltei ao Baixo Grande”, composta pelo avô em homenagem ao bairro. “Ele é parte da história de São Pedro da Aldeia e tinha muito orgulho disso. Ele amava esse município e nesses 110 anos, eu acho que é muito importante a cidade estar reconhecendo isso. Esse momento é um abraço para a memória de Victorino Carriço e para nós, que estamos aqui ainda contando a história dele”, destacou Fernanda. O secretário municipal de Cultura, Thiago Marques, explica que a homenagem é uma forma de manter o legado de Victorino Carriço sempre vivo no coração dos aldeenses e moradores da Região dos Lagos. “Celebrar a memória, a vida e a obra dos nossos artistas que já partiram é também celebrar a nossa própria história, nossas raízes e a nossa formação cultural. O município é berço de inúmeros talentos, que marcaram época e que merecem ser valorizados e reconhecidos. A grandeza da obra e sua biografia irretocável perpetuaram Victorino Carriço na história de São Pedro da Aldeia e temos orgulho em homenageá-lo neste 29 de julho”, disse. Legado Poeta Victorino Carriço é homenageado com vídeo que exalta sua vida e obra Divulgação / Monte Castelo Ideias Além da composição de hinos, como o de São Pedro da Aldeia, Cabo Frio e Arraial do Cabo, Victorino, ícone da cultura e da política, também deixou um importante legado com a publicação dos livros “Mar e Amar”, “Vidas Mortas” e “Se Voltares”. O poeta ainda integrou 34 associações culturais, algumas no exterior, como Itália, Argentina, Uruguai, França, Espanha, República Dominicana e México. Em 2015, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) concedeu a Victorino Carriço a maior honraria, a Medalha Tiradentes ‘post mortem’, em reconhecimento à importância do poeta para a Região dos Lagos. Victorino construiu sua família ao lado de Adalgiza Barros Carriço, com quem teve quatro filhos, além de um filho do primeiro casamento. Ele faleceu em maio de 2003, aos 90 anos de idade, e foi velado na Casa de Cultura José de Dome (Charitas), causando grande comoção em toda a cidade.

Vídeo produzido com netos de Victorino Carriço homenageia poeta, que completaria 110 anos nesta sexta
Obra foi produzida pela Secretaria de Cultura de São Pedro da Aldeia, cidade do poeta. Dia 29 de julho é dia de comemorar os 110 anos do compositor e poeta Victorino Carriço Nesta sexta-feira (29), dia em que Victorino Carriço completaria 110 anos, foi lançado um vídeo que homenageia o poeta, escritor e cronista, nascido em São Pedro da Aldeia, mas que teve grande ligação também com as cidades de Cabo Frio e Arraial do Cabo. Ele é o autor do hino das três cidades. Poeta Victorino Carriço completaria 110 nesta sexta-feira, 29 de julho de 2022 Arquivo pessoal O vídeo, produzido pela Secretaria de Cultura de São Pedro da Aldeia, conta com a participação da jornalista Fernanda Carriço e do músico Júnior Carriço, netos do poeta, e exalta a vida e obra do escritor. O resultado pode ser conferido nas páginas oficiais da Prefeitura de São Pedro da Aldeia e da Secretaria de Cultura no Facebook (assista vídeo completo abaixo). Initial plugin text Falecido em 2003, Victorino foi um dos maiores expoentes no cenário político, artístico, musical e literário da Região dos Lagos. Ao longo de sua vida, o “Santinho”, como era chamado, também foi delegado de polícia, gerente de banco, vereador e até presidente da Câmara Municipal, em 1973. Victorino Carriço também foi um dos fundadores da Academia Cabo-friense de Letras. Foi com a ajuda das palavras que o poeta construiu seu legado. Autor de obras como “Mar e Amar, “Se Voltares” e “Vidas Mortas”, ganhou notoriedade também com suas composições, sendo responsável pela produção de outros hinos como o do Colégio Sagrado Coração de Jesus e da antiga Companhia Nacional de Álcalis. Em um registro sensível e cheio de afeto gravado na orla do Baixo Grande, local onde Victorino nasceu e passou boa parte de sua juventude, Fernanda e Júnior lembraram das histórias de sua infância e da forte figura paterna de Victorino; a paixão do avô pela região e o legado artístico e humanitário deixado pelo poeta. O vídeo também traz a tocante interpretação de Júnior, em voz e violão, da canção “Voltei ao Baixo Grande”, composta pelo avô em homenagem ao bairro. “Ele é parte da história de São Pedro da Aldeia e tinha muito orgulho disso. Ele amava esse município e nesses 110 anos, eu acho que é muito importante a cidade estar reconhecendo isso. Esse momento é um abraço para a memória de Victorino Carriço e para nós, que estamos aqui ainda contando a história dele”, destacou Fernanda. O secretário municipal de Cultura, Thiago Marques, explica que a homenagem é uma forma de manter o legado de Victorino Carriço sempre vivo no coração dos aldeenses e moradores da Região dos Lagos. “Celebrar a memória, a vida e a obra dos nossos artistas que já partiram é também celebrar a nossa própria história, nossas raízes e a nossa formação cultural. O município é berço de inúmeros talentos, que marcaram época e que merecem ser valorizados e reconhecidos. A grandeza da obra e sua biografia irretocável perpetuaram Victorino Carriço na história de São Pedro da Aldeia e temos orgulho em homenageá-lo neste 29 de julho”, disse. Legado Poeta Victorino Carriço é homenageado com vídeo que exalta sua vida e obra Divulgação / Monte Castelo Ideias Além da composição de hinos, como o de São Pedro da Aldeia, Cabo Frio e Arraial do Cabo, Victorino, ícone da cultura e da política, também deixou um importante legado com a publicação dos livros “Mar e Amar”, “Vidas Mortas” e “Se Voltares”. O poeta ainda integrou 34 associações culturais, algumas no exterior, como Itália, Argentina, Uruguai, França, Espanha, República Dominicana e México. Em 2015, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) concedeu a Victorino Carriço a maior honraria, a Medalha Tiradentes ‘post mortem’, em reconhecimento à importância do poeta para a Região dos Lagos. Victorino construiu sua família ao lado de Adalgiza Barros Carriço, com quem teve quatro filhos, além de um filho do primeiro casamento. Ele faleceu em maio de 2003, aos 90 anos de idade, e foi velado na Casa de Cultura José de Dome (Charitas), causando grande comoção em toda a cidade.