Município atende a população em 16 polos de vacinação.

O público-alvo são crianças a partir de seis meses a adultos de 59 anos.

Campos terá segundo dia D contra o sarampo neste sábado (15).

Atendimento será feito em 16 pontos de vacinação Lucas Silva/Divulgação Prefeitura de Campos A população de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, poderá participar do segundo dia D de vacinação contra o sarampo.

A imunização, em 16 polos, vai atender ao público a partir dos seis meses de idade até 59 anos, não tenham sido vacinados ou que estejam com o plano vacinal incompleto. O atendimento será das 9h às 15h em 14 salas de vacinação e mais dois pontos volantes.

No primeiro dia D, foram aplicadas mais de 620 doses, número considerado bom pela Vigilância em Saúde do município. A Prefeitura explica que a recomendação para pessoas acima de 60 anos é buscar a vacinação em casos de viagem para localidades com a circulação viral ativa e também se houver indicação médica. "O Departamento de Vigilância Epidemiológica, vinculada à Secretaria Municipal de Saúde, reitera que o município alcançou a meta da última campanha de intensificação nacional.

Em Campos, não há casos de sarampo confirmados desde 2007, quando foi implementado o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) no município", explica a Prefeitura. Veja os pontos de vacinação: Novo Mundo; CRTCA I; CRTCA II; Centro de Saúde da SMS; Centro de Saúde de Guarus; Lagamar; Eldorado; Pq Aurora; Pq Prazeres; Penha; Poço Gordo; Santa Helena; UPH São José; UPH Santo Eduardo; e os dois postos UBS Cantinho da Saúde e Guarus Plaza Shopping.

Vacinação 2020 A campanha nacional vacinação contra o sarampo começou no dia 13 de janeiro e segue até 13 de março.

Em Campos, as doses ficam disponibilizadas em 41 salas, que funcionam de 8h às 17h.

Já o polo de vacinação no Centro de Saúde (Rua Gil de Góis, 157) atende em horário estendido, de 7h às 18h. Importância da vacinação Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), o vírus do sarampo circula no Estado do Rio e a forma mais eficaz de proteção é a vacina, já que sem ela as pessoas ficam expostas a uma doença altamente contagiosa, que evolui para complicações muito graves e pode até levar à morte. A expectativa é que, este ano, ocorram no estado mais de 10 mil casos da virose.

Em 2016 a doença estava erradicada no Brasil.

Segundo os especialistas, a imunização é a única forma de prevenção. “Sarampo é uma doença muito grave, de contágio muito fácil, pela respiração.

Tosse, espirro e a simples fala e ela pode matar, especialmente as crianças menores que um ano”, alerta Edmar Santos, secretário estadual de Saúde. Outros sintomas da doença são mal-estar geral, febre e manchas vermelhas pelo corpo.

Pessoas com suspeita de sarampo, com a imunidade comprometida, gestantes e crianças com menos de seis meses não devem receber a vacina. Alérgicos a proteínas do leite de vaca devem informar a condição ao profissional de saúde no posto de vacinação para que recebam a dose feita sem esse componente.

É recomendado que a população leve sua caderneta de vacinação na ida ao posto de saúde.